Fundada em 1993 e, desde há vários anos, com sede em Coimbra, a Angelus Novus, Editora publicou até este ano de 2015 cerca de 170 títulos, tendo criado uma imagem de prestígio sobretudo na área do ensaio e da edição de clássicos da literatura portuguesa. A Angelus Novus divulgou uma nova geração de autores portugueses e editou uma série muito seleccionada de autores estrangeiros, quer na poesia – Durs Grünbein, Luis Javier Moreno – quer no ensaio: Antonio Candido, João Cabral de Melo Neto, Jacques Derrida, Theodor W. Adorno, Ortega y Gasset, Bill Readings ou Eve Kosofsky.

A Angelus Novus que agora regressa ao mercado online deseja prolongar o essencial desta herança – o rigor e exigência na escolha de títulos e autores – sem abdicar de se dirigir a públicos muito mais diversos.

Não desistimos, à partida, de nenhum leitor, dos 7 aos 77 anos, dos mais integrados aos mais alternativos. Nesse sentido, não somos nem pretendemos ser uma editora marginal mas sim uma editora disponível para acompanhar e estimular os debates que movem os nossos contemporâneos. Como sempre, o novo pode estar mais à frente ou mais atrás, pode passar pela encomenda de textos cuja falta sentimos ou pela recuperação de textos «clássicos» ou simplesmente esquecidos. Como pode passar por grafismos arrojados ou por soluções antigas e ainda válidas, porque muito testadas e com sucesso. Não há aliás razões para não se considerar um livro um objecto coleccionável, porque belo. Ou porque, belo ou útil, nele se declina um pedaço da nossa vida.

Bem-vindo ao sítio da Angelus Novus.